terça-feira, 26 de abril de 2005

ESMALTES E PESSOAS

Estive pensando... que perigo!

Será que a cor do meu esmalte tem alguma coisa a ver com minha personalidade?

Está rindo, né?! Mas é verdade... explico:

Na última quarta-feira passei vinho nas unhas, pela primeira vez. Minha inspiração foi uma carioca muito bacana que conheci no feriado da Semana Santa. Ela estava usando vinho! Achei tão lindo e, pela primeira vez, deu a maior vontade de passar. Já tinha passado azul, verde, mas vinho, era algo novo! Pois então, passei logo antes de viajar para visitar meus parentes em Brasília!

Saí de casa a tardezinha, tinha que pegar uma van (lotação/perua - como quiser chamar) para a rodoviária e lá fui eu, com meu esmalte mal seco e muita empolgação. Para minha surpresa, entra na van um pregador, evangelista, todo engravatado, no maior calorão! Ele distribuiu umas folhas velhas cobertas com plástico, enquanto falava sem parar. Suas palavras, assim como aquelas escritas no papel eram vazias. Falavam de amor ao próximo, tentavam exortar à doação, mas sem base, sem dados ou fatos concretos. Seco, duro, sem graça! Fiquei tão triste! Pensar que uma pessoa com tamanha boa vontade, coragem e disposição gastava tanto suor para tão pouco resultado!
Pensei em como eu não poderia criticá-lo, já que ele estava fazendo algo que eu não estava... talvez devesse!
Mas por outro lado... será que os filhos de Deus não podem mostrar um pouco mais de "profissionalidade", ou em outras palavras, ser um pouco mais eficientes, objetivos, claros no que fazem? Fiquei pensando em como aquele sincero obreiro, seria muito mais eficiente, se em vez de simplesmente apelar para a "caridade" de pessoas desconhecidas e desconfiadas da van, mostrasse um folheto com mais fatos, falasse um pouco do que seu grupo estava fazendo para ajudar ao próximo, tentasse passar integridade e não só colocar culpa nos passageiros que não ajudavam!
"In the spur of the moment" (ou talvez afetada pelo esmalte vinho) perguntei para ele o que mesmo era o que eles faziam naquela instituição. Só para confirmar minhas desconfianças (de que ele fazia tudo de boa vontade, mas sem muita competência), ele disse que isso não era setor dele, era papel de outras pessoas; a parte dele era só, "ser humilhado pelas pessoas" e arrecadar dinheiro para uma obra que ele não sabia qual era!
No final a conversa foi para o lado errado, pois ele me perguntou de que igreja ela e tive que confessar que sou de uma igreja sem nome que vive brigando para saber se é ou não igreja! :)
Enfim, tentei o máximo não discutir (especialmente com uma platéia cativa ao redor), mas mostrar-lhe que o fato de minha "igreja" ter nome ou não, e ter prédio ou não, não modificava o fato de ele realmente, desesperadamente precisar saber o que era feito do dinheiro que ele arrecadava!
Ele saiu um pouco atordoado, com certeza pensativo... será que foi o esmalte?!

Depois que desci da van, andei até a rodoviária cheia de animação. Ainda faltava meia hora para meu ônibus sair e eu podia praticar um dos meus hobbies: observar pessoas! É super divertido!
Mas nesse dia, não sei se por causa do esmalte, nem deu muito para observar pessoas, antes de puxar papo com um garoto que também esperava por um ônibus.
"Que horas são?" - "Que horas é o seu ônibus?" - "Para onde você vai?"
Foi o início de meia hora de papo. Dessa vez sobre esportes radicais. Ele morava em Brotas, estava morando em Campinas para fazer cursinho. Brotas - terra de esportes radicais - rafting, rapel!! Já viu que foi conversa que me interessou... se eu sei bem do assunto, ninguém sabe - mas que o esmalte ajudou, ajudou!

Meu ônibus chegou... para completar minha tarde/noite descontraída e conversadeira com estranhos, sentei do lado de um Sul Africano. Quem diria, em pleno São Paulo... era de Durban, estava fazendo intercâmbio, só 3 meses no Brasil, mas já falava bem o português. Papeamos em inglês... tudo bem que tava escurecendo, mas sei que o esmalte ajudou!!

Na hora de dormir fiquei pensando: "Puxa, viajo tanto sozinha. Às vezes converso com uma ou outra pessoa, mas nunca com tantas pessoas tão rapidamente! O que será que deu em mim?" Só consegui chegar a uma conclusão:

Foi culpa da Faninha... minha prima que passou o esmalte vinho em mim!! :)

4 comentários:

Doveseyes disse...

I love it!!! O esmalte, o texto, a animação, a falação com estranhos, as fotos, tudo!

Menina... Falando em falação com estranhos. Eu ando fazendo amizade em tudo quanto é lugar. Ontem fui no shopping e já comecei a conversar com os 4 vendedores numa loja, depois com o cara do Starbucks. E nem estava de esmalte vinho, imagina se tivesse! hehe

Joyce disse...

so funny....vc estava sendo afetada pelo produtos do esmalte vinho...mas isso nao acontece so com esmalte...as vezes visto algo diferente e qndo percebo q estou agindo diferente...interessante..hummm!!

Anne disse...

engraçado... Acho q é do sangue Walker... O B. um dia falou assim pra mim: "Não sei como vc consegue sentar num ônibus e conversar duas horas e meia com uma pessoa estranha..." Sabe... pensando melhor, todas as vezes que conversei assim estava com um esmalte de cor diferente... hummm deve ter sido isso! hahahahahah Já tenho como explicar pra ele o pq... hahaha que bobeira... amei!
Tb quero um blog... akele fotolog não está com nada! =/

Débora A. disse...

Ei, menina!

Será que se eu usar vou ficar assim também????