segunda-feira, 27 de março de 2006

ESPAÇO INTERNO

Acho que meu coração tem um tamanho específico, inegociável, com um espaço determinado que, assim como a lei da física determina, só cabe o equivalente a esse espaço ou menos.

Também é assim com meu tempo, com meus pensamentos, com minha atenção, com minha memória, meus sentimentos, socialidade*, carinho, enfim, com todo meu "eu".

É por isso que muitas vezes a palavra "sobrecarregada" me define bem.

São aqueles momentos quando a oferta já se esgotou e ainda há demanda.

Já não tenho nada a oferecer e os pedidos não param de chegar.

Vejo pessoas que parecem sacos sem fundo nessas áreas, nunca parecem cheias, nunca esgotam.

Vejo outras que pelo contrário esgotaram quando eu ainda tinha um longo caminho a percorrer.

Por isso imagino, será que os tamanhos variam? Ou a oferta/demanda é que difere?

Ou ainda, será que tudo não passa de uma comparação ilógica da minha cuca!?

Interessante porém é que esses momentos de botija transbordante geralmente acontecem quando há dias não me esvaziei diante dEle, por isso carrego tudo sozinha, o espaço é pequeno e delimitado. E quando, enfim, descubro meu erro volto a Ele, conecto-me e de novo os marcadores voltam ao zero, pronta para começar tudo outra vez!

* capacidade de ser social!

Um comentário:

Doveseyes disse...

Interesting... hummm...